Resultados 1 a 8 de 8

Tópico: Por que não anunciar em sites de compra coletiva?

  1. #1
    Novato
    Data de Ingresso
    May 2013
    Posts
    3
    Peso da Avaliação
    0

    Por que não anunciar em sites de compra coletiva?

    Amigos uma coisa que fico me perguntando!
    por que não se aliar aos sites de compras coletivas?
    pois não tem como concorrer com eles!
    mais podemos nos juntar a eles!

  2. #2
    Acesso ao Clube Avatar de fake1000
    Data de Ingresso
    Nov 2012
    Localização
    la
    Posts
    298
    Peso da Avaliação
    7
    Você tem esses requisitos?


    - CNPJ ?
    - Site ?
    - Escritório Comercial ?
    - Equipe de Atendimento ?
    - Telefone Fixo p/ SAC ?
    - E-mail Personalizado ?
    - Ter no Mínimo 10 Meses de Empresa Aberta ?


    A ultima vez que perguntei sobre como fazer parte de um site de compras coletivas me disseram isso.
    Se não tem esqueça.

  3. #3
    Junior Member
    Data de Ingresso
    Feb 2013
    Localização
    presidente epitacio
    Posts
    25
    Peso da Avaliação
    0
    fiz uma contato com um desses grupos ,a um ano ,mais ou menos,e o preço de primeira página para ser anunciado no Brasil,só 35 mil reais.

  4. #4
    Acesso ao Clube Avatar de ricromero
    Data de Ingresso
    Feb 2013
    Localização
    Mundo
    Posts
    816
    Peso da Avaliação
    0
    Fico até imaginando a chamada.

    "Zé muamba orgulhosamente apresenta...........Tudo da china....com sua qualidade suuuuuuuuuuuuuuuuuuuuper"..........rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

  5. #5
    Junior Member
    Data de Ingresso
    Feb 2013
    Localização
    presidente epitacio
    Posts
    25
    Peso da Avaliação
    0
    se vc der uma navegada,a grande maioria é da China.

  6. #6
    Senior Member Avatar de emsblgb
    Data de Ingresso
    Nov 2012
    Localização
    Barreiras-Bahia-Brasil
    Posts
    270
    Peso da Avaliação
    7
    Vai comprar? Confira a nova lei para e-commerce e compras coletivas

    Da Redação 14-05-2013


    Legislação obriga sites a fornecer com destaque dados como nome e CNPJ, além de formas de contato e meios para arrependimento da compra.


    Começa a valer nesta terça (14) o Decreto Federal nº 7962/13, que aumenta as exigências e o controle sobre o comércio eletrônico no País.
    De acordo com o decreto publicado no Diário Oficial, agora as lojas virtuais estão obrigadas a fornecer, "de forma clara e ostensiva", dados básicos como nome e número do CNPJ da empresa, endereço físico e eletrônico, contrato de compra, além de informar detalhes essenciais sobre o produto (incluindo riscos à saúde e à segurança) e oferecer um canal de atendimento válido para o consumidor.
    Veja os principais pontos da nova legislação:
    Informações com destaque
    Os sites de e-commerce agora devem exibir, "em local de destaque e de fácil visualização", as seguintes informações:

    • Nome empresarial e número de inscrição do fornecedor no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ);
    • Endereço físico e eletrônico, e demais informações necessárias para sua localização e contato;
    • Características essenciais do produto ou do serviço, incluídos os riscos à saúde e à segurança dos consumidores;
    • Discriminação, no preço, de despesas adicionais ou acessórias, como frete ou seguro;
    • Condições integrais da oferta, incluídas modalidades de pagamento, disponibilidade, forma e prazo da execução do serviço ou da entrega do produto; e
    • Informações claras e ostensivas a respeito de quaisquer restrições da oferta.

    Sites de Compras Coletivas
    Além dos dados acima, os sites de compras coletivas também ganham novas exigências. Eles devem informar também:
    • Quantidade mínima de consumidores para a efetivação do contrato;
    • Prazo para utilização da oferta e identificação do fornecedor responsável pelo site e do fornecedor do produto ou serviço ofertado

    Atendimento facilitado
    Para facilitar o atendimento ao consumidor, o decreto diz que o fornecedor deverá:

    • Apresentar sumário do contrato antes da contratação, enfatizando cláusulas que limitem direitos;
    • Confirmar imediatamente o recebimento da aceitação da oferta;
    • Oferecer o contrato ao consumidor em meio que permita "conservação e reprodução" do contrato, imediatamente após a contratação;
    • Manter serviço "adequado e eficaz" de atendimento em meio eletrônico, que possibilite ao consumidor a resolução de demandas referentes a informação, dúvida, reclamação, suspensão ou cancelamento do contrato;
    • Utilizar mecanismos de segurança eficazes para pagamento e para tratamento de dados do consumidor.
    • A lei também prevê que o consumidor deverá ter alguma resposta em até cinco dias.

    Arrependimento
    Os sites de e-commerce agora também estão obrigados a informar, "de forma clara e ostensiva", os meios para que o comprador possa se arrepender. Entenda os principais pontos:

    • O consumidor poderá exercer seu direito de arrependimento pela mesma ferramenta utilizada para a contratação, "sem prejuízo de outros meios";
    • O arrependimento implica a rescisão dos contratos, sem qualquer ônus para o consumidor.
    • A desistência deverá ser comunicada imediatamente pelo fornecedor à instituição financeira ou à administradora do cartão de crédito, para que a transação não seja lançada na fatura do consumidor; ou seja feito o estorno do valor.
    • O fornecedor deve enviar ao consumidor confirmação imediata do recebimento da manifestação de arrependimento.

    Em artigo para o IDG Now!, o advogado Renato Ópice Blum afirma que com a identificação do fornecedor, "incentiva-se a concorrência saudável de mercado, muitas vezes maculada por aventureiros virtuais que, a despeito das responsabilidades exigidas pela lei do empresário brasileiro, utiliza o suposto anonimato na Web para empreender sem qualquer ônus".

    Para ele, embora o decreto não trate diretamente do assunto, a criação de canais facilitados de comunicação para o consumidor também poderia ser orientação estendida às Redes Sociais, "dada a maciça inserção dos brasileiros nestas mídias."

    Fonte:
    Vai comprar? Confira a nova lei para e-commerce e compras coletivas - PC WORLD

    MINHA OPNIÃO: Esse lance vai causar dificuldades, principalmente se for para fazer dropshipping. Vai ficar quase impossível!!! Porém é válido, contando a grande quantidade de vendedor picaretas desonestos anunciantes nesses sites!
    Meus negócios são Dirigidos por mim, porém guiados por Deus sempre!

  7. #7
    Acesso ao Clube Avatar de ricromero
    Data de Ingresso
    Feb 2013
    Localização
    Mundo
    Posts
    816
    Peso da Avaliação
    0
    Citação Postado originalmente por emsblgb Ver Post
    [h=2][SIZE=2]
    MINHA OPNIÃO: Esse lance vai causar dificuldades, principalmente se for para fazer dropshipping. Vai ficar quase impossível!!! Porém é válido, contando a grande quantidade de vendedor picaretas desonestos anunciantes nesses sites!
    É justamente o ponto ao qual sempre "pego". Tá cheio de vagabundo por ai e espero que esses realmente se F*D*M muito.

  8. #8
    Novato
    Data de Ingresso
    May 2013
    Posts
    3
    Peso da Avaliação
    0
    Uma coisa é certa como eles fazem não sei!
    pois sei que muitas ofertas são da china! e galera daqui sabe disso!

Marcadores

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •