Anúncio

Collapse
No announcement yet.

Provas de ganhos com Drop Shipping?

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • Postado originalmente por Marllon11 Ver Post
    Qual e o seu fornecedor?

    Sent from my XT1033 using Importa Brasil mobile app
    Aliexpress, está vindo pelo china post.

    Comentário


    • Postado originalmente por LeandroTadeuVas Ver Post
      Olá pessoal, sou novo por aqui e gostei muito desse post.

      Estou pensando em fazer Drop, mas vou vender os produtos a R$ 0,50 e incluir o custo no valor do frete, isso vem da ideia Grátis + Frete, mas vou colocar esse valor de R$ 0,50 por que deve ter alguns compradores que são desconfiados em relação a ser de graça, o que vocês acham dessa ideia?

      Pelos tópicos que li nesse post cheguei a algumas conclusões:
      1-Não fazer pelo ML, pois o Mercado Pago pode bloquear seu valor e não fornecem uma justificativa por causa disso. Por isso é melhor montar sua própria loja. Claro que uma loja atraente, bem feita e que passe uma ideia de segurança para o comprador, colocando principalmente boas imagens de seus produtos.
      2-Apesar dos problemas de prazo deixar bem claro que o produto pode demorar até 60 dias para chegar.
      3-Em relação a taxação, por lei: O decreto de Lei 1804/80 sobre importações deixa CLARO que todo Brasileiro tem o direito de importar produtos de até $100USD (Dólares americanos) sem nenhuma taxação. Retirado do site: Submundogeek.
      4-Além da divulgação através do Google AdWords fazer também a divulgação através da criação de uma página no Facebook e anunciar a loja dentro das páginas de tratam de desapego e etc.
      5-Colocar um canal mais estreito de relacionamento com o cliente dentro da loja como e-mail, contato pelo Facebook e até dependendo da situação um WhatsApp (é possível esconder o número de telefone).
      6-Acredito que colocar também uma grande variedade de produtos na loja é uma boa opção.
      7-Colocar na loja virtual uma opção para que o cliente informe o desejo dele por determinado produto que não está na loja.
      8-Colocar na loja um FAQ e também uma Política de Privacidade
      9-Acompanhar a moda do mercado como por exemplo Hand Spinner, Harry Potter, Game of Thrones, Velozes e Furiosos, K-Pop anunciando produtos desse nicho de mercado.
      10-Como o valor por item é baixo, fica mais tranquilo para devolver o dinheiro para o cliente caso ocorra algum problema.
      11-Colocar uma margem pequena de lucro até que a loja ganhe credibilidade, fazendo com que na verdade eu ganhe na quantidade de vendas, prefiro de repente ganhar R$ 5,00 em cada venda ao invés de R$ 10,00 por venda.

      Será que tudo isso que eu disse pode estar correto, será que posso começar abrindo minha loja virtual de R$ 0,50 fazendo Drop?

      Um grande abraçaum.
      Com relação a produtos de U$ 100,00 é altamente discutível. Procure no Google.

      Comentário


      • Postado originalmente por Maurente Ver Post
        Com relação a produtos de U$ 100,00 é altamente discutível. Procure no Google.
        Obrigado pela dica.

        "A Turma Regional de Uniformização (TRU) dos Juizados Especiais Federais (JEFs) da 4ª Região uniformizou o entendimento de que a isenção do imposto de importação incidente sobre mercadoria postada por remessa internacional é de 100 dólares quando o destinatário for pessoa física, sem restrição quanto ao remetente.
        Conforme o acórdão, a Portaria nº 156/99 do Ministério da Fazenda, e a Instrução Normativa nº 96/99 da Secretaria da Receita Federal, que tratam do regime de tributação simplificada, extrapolaram os limites do poder regulamentar ao limitar o valor de isenção a 50 dólares e exigir que o remetente e destinatário sejam pessoa física.
        Segundo o relator do processo na TRU, juiz federal Antônio Fernando Shenkel do Amaral e Silva, “o estabelecimento da condição de o remetente ser pessoa física e a limitação da isenção a produtos de até 50 dólares não têm respaldo no Decreto-Lei nº 1.804/80, que regrou a tributação simplificada das remessas postais internacionais”.
        Compras em dólar
        A questão foi levantada por uma moradora de Porto Alegre que teve sua mercadoria importada por correspondência, de valor inferior 100 dólares, tributada pela Receita Federal. Ela ajuizou ação na Justiça Federal de Porto Alegre contra a exigência do imposto.
        A 10ª Vara Federal julgou a ação e manteve a tributação sobre os produtos que ultrapassavam a cota de 50 dólares. A autora recorreu e a 5ª Turma Recursal (TR) do Rio Grande do Sul manteve a sentença. Ela então ajuizou incidente de uniformização apontando precedentes da 3ª TR de Santa Catarina e da 1ª TR do Paraná, que adotam a tese de isenção para produtos de até 100 dólares."

        Dei uma pesquisada no Google e verifiquei que apenas um caso teve taxação do produto importado, a questão interessante é que a lei diz em relação a pessoa física, e essa sim não é taxada.

        Em casos de taxação em produtos a menos de 100 dólares podemos entrar com um processo contra a Receita Federal?

        Comentário


        • 3-Em relação a taxação, por lei: O decreto de Lei 1804/80 sobre importações deixa CLARO que todo Brasileiro tem o direito de importar produtos de até $100USD (Dólares americanos) sem nenhuma taxação. Retirado do site: Submundogeek.
          Esse valor de 100 usd é discutível, além disso, somente pode importar bens para uso ou consumo próprio. A legislação brasileira não permite que pessoa física realize importação de mercadorias que pela sua quantidade, frequência, natureza ou variedade permitam presumir que a operação foi realizada com finalidade comercial ou industrial, a exemplo de amostras, itens de demonstração, mostruários e protótipos.

          Postado originalmente por LeandroTadeuVas Ver Post
          Obrigado pela dica.

          "A Turma Regional de Uniformização (TRU) dos Juizados Especiais Federais (JEFs) da 4ª Região uniformizou o entendimento de que a isenção do imposto de importação incidente sobre mercadoria postada por remessa internacional é de 100 dólares quando o destinatário for pessoa física, sem restrição quanto ao remetente.
          Conforme o acórdão, a Portaria nº 156/99 do Ministério da Fazenda, e a Instrução Normativa nº 96/99 da Secretaria da Receita Federal, que tratam do regime de tributação simplificada, extrapolaram os limites do poder regulamentar ao limitar o valor de isenção a 50 dólares e exigir que o remetente e destinatário sejam pessoa física.
          Segundo o relator do processo na TRU, juiz federal Antônio Fernando Shenkel do Amaral e Silva, “o estabelecimento da condição de o remetente ser pessoa física e a limitação da isenção a produtos de até 50 dólares não têm respaldo no Decreto-Lei nº 1.804/80, que regrou a tributação simplificada das remessas postais internacionais”.
          Compras em dólar
          A questão foi levantada por uma moradora de Porto Alegre que teve sua mercadoria importada por correspondência, de valor inferior 100 dólares, tributada pela Receita Federal. Ela ajuizou ação na Justiça Federal de Porto Alegre contra a exigência do imposto.
          A 10ª Vara Federal julgou a ação e manteve a tributação sobre os produtos que ultrapassavam a cota de 50 dólares. A autora recorreu e a 5ª Turma Recursal (TR) do Rio Grande do Sul manteve a sentença. Ela então ajuizou incidente de uniformização apontando precedentes da 3ª TR de Santa Catarina e da 1ª TR do Paraná, que adotam a tese de isenção para produtos de até 100 dólares."

          Dei uma pesquisada no Google e verifiquei que apenas um caso teve taxação do produto importado, a questão interessante é que a lei diz em relação a pessoa física, e essa sim não é taxada.

          Em casos de taxação em produtos a menos de 100 dólares podemos entrar com um processo contra a Receita Federal?
          Eu aconselho a esquecer isso de processo contra Receita Federal. Não vale o estresse.
          Mas caso queira entrar, tem um tópico criado sobre isso:
          http://importabr.com.br/forum/showth...a%C3%A7%C3%A3o
          Last edited by LucasBlade; 10/08/2017, 16:36.

          Comentário

          Working...
          X